domingo, 6 de abril de 2014

ALIMENTOS QUE NOS CHEGAM AO PRATO NÃO FORAM FEITOS PARA COMER

E se o seu organismo não reconhecer aquilo que você come como um alimento? Defende-se, inflama-se, fica doente. É o que fazem muitos dos produtos que levamos à boca. Cristina Sales, médica e especialista em alimentação, garante que na origem da maioria das doenças que afectam o homem do século XXI está o que comemos e o modo como o fazemos. É que os alimentos são veículos de comunicação: dizem às células como devem comportar-se.

Precisamos de mudar a forma como nos alimentamos?
É obrigatório que o façamos porque a alimentação que a população dos países ocidentais, incluindo Portugal, passou a fazer nos últimos cinquenta anos é o que está na origem da maior parte das doenças endócrinas, metabólicas, autoimunes, degenerativas e alérgicas. As novas epidemias devem-se sobretudo aos estilos de vida e à alimentação que fazemos desde o pós-guerra.

A alimentação é decisiva para a saúde e o bem-estar mas está a provocar doenças e a aumentar a mortalidade precoce?
A geração dos nossos filhos terá uma esperança de vida mais reduzida do que a nossa por causa dos estilos de vida e da alimentação. Primeiro, os produtos altamente processados pela indústria alimentar conduzem a uma desnutrição em nutrientes fundamentais e ingerimos uma grande quantidade de calorias vazias. Segundo, são muito diferentes dos alimentos originais e o organismo não sabe lidar com eles, não os reconhece como alimentos. Depois, há uma sobrecarga tóxica inerente à alimentação que provém dos agroquímicos (da produção), dos conservantes, corantes e adoçantes que são adicionados para preservar os produtos durante mais tempo e para os manter bonitinhos.

São alimentos para ver…
Os produtos que nos chegam ao prato foram feitos para vender e não para comer. Não têm nada que ver com os alimentos que ingerimos e que nos fizeram viver e sobreviver ao longo de milhões de anos. Esta mudança ocorreu tão depressa que o organismo não está adaptado para gerir, digerir e assimilar estes produtos, pelo contrário, vê-os como substâncias estranhas e reage, inflamando-se.

Como é que podemos livrar-nos dessa teia?
As escolhas alimentares são condicionadas pela publicidade, as pessoas não são ensinadas a escolher. Quem é que é ensinado a consumir maçãs ou laranjas? Ninguém. A informação que passa de forma subliminar através dos anúncios da TV e dos jornais é que se deve beber sumo de maçã e de laranja. Mas se alguém ler os rótulos das embalagens verifica que contém imenso açúcar, frutose, acidificantes, etc., e o que falta é a maçã e a laranja. É preciso informar, ensinar e consciencializar a população.

A atitude da indústria alimentar tem de mudar?
No global sim, mas também depende do que a indústria faz. A conservação de alimentos através da congelação, por exemplo, é perfeita. Os legumes congelados são uma ótima opção, por vezes mais económica, e chegam ao consumidor mais frescos e com mais nutrientes do que os que são mantidos durante cinco ou seis dias nas cadeias de distribuição. Já quando falamos de alimentos que têm de levar uma quantidade enorme de aditivos para serem consumidos – é o caso das carnes de muito má qualidade e dos aproveitamentos que se fazem dos restos dos mariscos – é diferente. Sempre que tivermos de dobrar a língua muitas vezes para conseguir ler o que está escrito nos rótulos é porque não é comida. Não compre. Será qualquer coisa que do ponto de vista nutricional, químico e metabólico está muito longe do alimento original.

Está a falar de alimentos que duram ad eternum?
Por exemplo. Como é que duram? Fizeram-se estudos com hambúrgueres e batatas fritas – uns feitos em casa, com carne picada, e batatas que foram descascadas, outros com produtos processados e embalados – e verificou-se que ao fim de trinta ou quarenta dias alguns hambúrgueres se mantinham iguaizinhos. Não se degradaram, ao contrário dos que foram feitos em casa, que estavam estragados três dias depois. Ora alguém acha que uma coisa daquelas pode ser comida?

Quando ingerimos produtos desse tipo como é que o organismo reage?
Defende-se e inflama-se ou agarra naquelas coisas que não considera importantes e arruma-as nos depósitos de lixo, que são as células gordas. Estas, além de serem o nosso reservatório de energia, são também o depósito de substâncias tóxicas que o organismo não metaboliza ou não utiliza para impedir que entrem nos circuitos mais nobres. Esta acumulação de lixo cria bloqueios bioquímicos e alterações metabólicas que impedem as células de trabalhar em condições. Hoje ninguém sabe que consequências é que isto tem para o cérebro e o sistema imunitário e para o bom trabalho hepático e digestivo. Os circuitos da toxicidade são cruzados – se uma pessoa come de vez em quando um gelado, um iogurte, umas bolachas ou um sumo que tem um determinado corante é uma coisa, mas se o faz com regularidade, ao fim de seis meses já ultrapassou as doses suportáveis e entra em sobrecarga tóxica.

E o que é que acontece?
Veja-se o ácido fosfórico, um aditivo que está presente em alimentos de consumo diário, como os cereais de pequeno-almoço e os refrigerantes. Quem ingere estes produtos todos os dias, além de ficar com o sistema acidificado e perder cálcio (uma compensação do organismo que depois predispõe à osteoporose), também fica numa excitação – o ácido fosfórico é um estimulante cerebral e é óbvio que uma criança que de manhã come um prato de cereais chega à escola e não para quieta. O ácido fosfórico altera o comportamento e em determinadas concentrações é neurotóxico.

Como é que os alimentos atuam no organismo?
Os alimentos servem para construir tecido, osso, órgãos, etc., e para nos darem energia, mas o que as ciências da nutrição têm vindo a mostrar é que os alimentos são essencialmente moduladores do comportamento celular – são informadores das células, dizem-lhes como devem funcionar. Imagine que tem um prato com uma determinada quantidade de proteínas (peixe ou carne) e outra de hidratos de carbono. Só a proporção entre a quantidade de carne e batatas ingeridas vai informar o organismo da necessidade de produzir uma hormona ou outra, neste caso insulina (que é a hormona do armazenamento) ou glucagon (a hormona do desarmazenamento).

Explique lá melhor…
Se comer mais proteínas do que hidratos de carbono vai produzir mais glucagon e induzir o metabolismo a ir buscar gordura acumulada para disponibilizar às células, ou seja, vai desarmazenar. Mas se comer mais arroz, massa ou batatas vai dar uma ordem em sentido contrário, vai dizer que é precisa mais insulina e vai acumular gordura.

Mas se as pessoas forem ativas podem queimar essa energia…
Isso é outra coisa, o que importa reter é que na proporção hidratos de carbono/proteínas a quantidade de açúcar que chega aos sensores do tubo digestivo aciona imediatamente uma ordem de libertação de glucagon ou de insulina. Se a indicação é libertar glucagon, o organismo vai usar a gordura acumulada, se a ordem for para libertar insulina, o organismo vai armazenar gordura. Isto é pura informação.

Quem quer perder peso tem de saber isso, certo?
Se a pessoa tiver consciência da informação que dá ao corpo tem muito mais capacidade para o modular. Outro exemplo. A leptina, a hormona que sinaliza o apetite, que depende sobretudo do ritmo solar. Ora, uma pessoa equilibrada, que durma de noite e trabalhe de dia, produz mais leptina de manhã (e tem apetite) e ao fim do dia produz menor quantidade (o apetite diminui). Se uma pessoa comer muito à noite estraga este equilíbrio e a certa altura está sempre com fome porque inutilizou os sensores da leptina. Nós somos mamíferos e de noite, quando dormimos, não precisamos de comer. O nosso corpo tem a sabedoria para sinalizar o apetite em função da hora do dia – comer muito à noite estraga essa sinalização, faz ter apetite a toda a hora.

A alimentação é bioquímica?
Os alimentos são veículos de comunicação. Se fizer uma refeição de gordura saturada – uma sopa com um chouriço e depois um cozido à portuguesa – dá um sinal à cárdia (esfíncter entre o estômago e o esófago) para alargar e é assim que ocorrer o refluxo gastroesofágico e aparece a azia. A gordura saturada é um sinal que se dá à cárdia para se manter aberta. Se no dia seguinte a mesma pessoa só comer azeite ou gorduras de peixe não terá azia. Sabe porquê? É que o azeite ajuda a fechar a cárdia. Este é outro exemplo que ilustra a importância do conhecimento. Pessoas mais esclarecidas fazem escolhas mais acertadas.

A forma como nos alimentamos dita o comportamento das células?
Quando ingeridas, as gorduras saturadas e as gorduras ómega 6 (provenientes essencialmente dos animais e dos cereais, sobretudo da soja) são a estrutura a partir da qual as células fazem substâncias pró-inflamatórias. As gorduras ómega 3 – provenientes das algas e dos peixes – são as que permitem que as células produzam substâncias anti-inflamatórias. Se uma pessoa tem uma doença inflamatória (por exemplo, uma alergia, artrite ou doença autoimune) e come muita gordura saturada, esta vai funcionar como substrato para a fogueira e agravar o processo inflamatório da doença que já tem. Ao contrário, se a pessoa ingerir gorduras ómega 3, vai ser capaz de construir extintores de incêndio para que as suas células produzam anti-inflamatórios.

Há outros exemplos?
Se uma pessoa tem tendência depressiva porque não consegue produzir serotonina em quantidade suficiente, deve comer os alimentos que têm os aminoácidos precursores da serotonina – a carne de peru, por exemplo, é extremamente rica em triptofano, que é um precursor da serotonina. Se a pessoa souber isto, no outono, quando o tempo fica mais escuro, porque é que não há de comer mais carne de peru em vez de carne de vaca?

A alimentação e o processo digestivo podem agravar ou controlar certas doenças?
Sim, se uma pessoa tem uma predisposição genética para a diabetes, Alzheimer, etc., a doença só vai manifestar-se se o gene for ativado. Mas o que as pessoas precisam de saber é que os genes também podem ser desativados – é a modulação genética através da nutrigenética. Como? O que ativa ou suprime a expressão dos genes é a presença de determinados fitoquímicos, substâncias que também se encontram nos alimentos.

Podemos dizer que há alimentos anti-inflamatórios?
Claramente. Os que têm ómega 3 – sardinha, cavala e os peixes das águas frias do Norte. Algumas substâncias vegetais dos legumes (tomate), frutos (quivi) e especiarias (a curcuma, que confere a cor amarela ao caril) também têm efeito modulador de alguns genes pró-inflamatórios. Mas alimentos anti-inflamatórios devem ser consumidos, independentemente de se ter doença ou não. Hoje sabe-se que um cérebro com Alzheimer já está inflamado vinte anos antes da manifestação da doença. Todas as doenças degenerativas começam com processos inflamatórias, as autoimunes também. Não conhecemos é as causas.

Há substâncias que devem mesmo ser eliminadas da alimentação?
Os aditivos químicos. Falo das substâncias químicas que não são alimentos, que são usadas pela indústria alimentar e podem ser geradoras de inflamação em contacto com o organismo. A vida corrente não nos permite evitar todos os aditivos, mas se estivermos despertos para esta realidade teremos mais atenção, faremos escolhas mais saudáveis e ingerimos menores quantidades.

E as gorduras?
As gorduras ómegas 6, que se encontram nas margarinas e nos óleos e que são provenientes da soja, do milho e do amendoim, são claramente pró-inflamatórias. Precisamos de ómega 6 no organismo, mas em quantidades muito reduzidas. O problema é que a cadeia alimentar atual é geradora de uma alimentação extraordinariamente rica em ómega 6 e pobre em ómega 3. Basta pensar que, dantes, as galinhas e as vacas comiam erva, agora comem rações provenientes da soja; os peixes comiam algas, agora comem rações também com soja. Os produtos alimentares que usamos são essencialmente da linha produtora de ómega 6.

Nos supermercados temos centenas de alimentos à escolha. Precisamos de tanta coisa?
Não precisamos de tantos produtos alimentares, necessitamos é de maior diversidade alimentar. Essas centenas ou milhares de produtos que vemos nas prateleiras são provenientes de quatro ou cinco alimentos – cereais, lácteos, açúcares e gorduras – e da indústria de processamento. Se olharmos para a quantidade de legumes, frutos, oleaginosas e peixe que as pessoas comem no dia a dia verificamos que não há variedade alimentar, as pessoas comem quase sempre o mesmo. Já pensou na variedade de saladas que é possível fazer? Mas se perguntar a alguém qual é a que come diz-lhe alface e tomate.

No supermercado fazemos escolhas condicionadas pela publicidade e o marketing. Como podemos fugir a isso?
Só vai mudar com a informação dos cidadãos. Nos países do Norte da Europa, onde a população é muito mais esclarecida, não encontramos nos supermercados esta quantidade enorme de alimentos-lixo – basta verificar que o espaço ocupado por refrigerantes, cereais de pequeno-almoço e óleos alimentares é muito reduzido. Exatamente o oposto do que se passa em Portugal.

A crise económica e as dificuldades das famílias podem piorar ainda mais a alimentação dos portugueses?
Também pode acontecer o contrário. Numa altura em que todos sentimos uma necessidade absoluta de gerir muito bem os orçamentos familiares, devemos fazer listas de compras de forma racional. E antes de comprar certos produtos alimentares, é obrigatório perguntar: «Preciso mesmo disto? Vale a pena? Faz-me ficar mais forte, vital, inteligente? Tem mais nutrientes?» Ocasionalmente, podemos comprar os tais alimentos que não comportam nenhum valor acrescentado mas que agradam ao paladar, mas isso é num dia de festa.

De que produtos podemos e devemos mesmo prescindir quando vamos às compras?
Devemos tirar os refrigerantes, cereais com açúcar, pastelaria, óleos e margarinas – para cozinhar devemos usar o azeite, só azeite. Todos os refrigerantes são um estrago de dinheiro – as pessoas devem beber água. Os cereais com açúcar (os de pequeno-almoço e as bolachas) também são prescindíveis – devemos escolher cereais completos, integrais, que até são mais baratos. Compare-se o preço de uma caixa de cereais de pequeno-almoço com o de um pacote de flocos de aveia, que são altamente nutritivos. A aveia é muito mais barata e muito nutritiva.

Mas comprar carne magra e peixe gordo, frutos e hortaliças é muito mais dispendioso…
Mas há estratégias que podem ser implementadas. Uma é comprar carne de melhor qualidade e comer menos quantidade e menos vezes. É preferível comer carne três vezes por semana em vez de comer carne gorda todos os dias. Além disso, toda a gente ganha se fizer uma alimentação vegetariana dois dias da semana e em vez da carne comer, por exemplo, arroz de feijão ou grão-de-bico com massa. Se se acrescentar hortaliças, ervas aromáticas e azeite, podemos dizer que são refeições perfeitas. Menos carne, mas de melhor qualidade; mais peixe (incluindo cavala e sardinhas, frescas ou em conserva de azeite) e ovos (podem ser consumidos três ou quatro por semana) são opções a privilegiar.

Não retira massa, arroz ou batatas ao seu carrinho de compras?
Não, mas reduzo as quantidades ingeridas. No prato devemos ter pequenas porções de massa, arroz ou batatas e maior quantidade de hortaliças, legumes e leguminosas.

Fala-se muito na responsabilidade social da indústria farmacêutica, que ganha dinheiro à custa do tratamento dos doentes. E quanto à responsabilidade social da indústria alimentar, que ganha dinheiro atirando-nos para a doença?
A indústria alimentar está a fazer maus alimentos, mas a verdade é que as pessoas só compram o que querem. Sei que quanto menor é a informação maior é a permeabilidade ao marketing, mas o caminho também se faz através da informação dos cidadãos e da sua responsabilização. Custa-me imenso ver nas caixas de supermercado que as pessoas aparentemente mais pobres também são as que levam os carrinhos repletos de produtos inúteis e nefastos para a sua saúde. É preciso repensar a política alimentar e inovar.

E se o seu organismo não reconhecer aquilo que você come como um alimento? Defende-se, inflama-se, fica doente. É o que fazem muitos dos produtos que levamos à boca.

Fonte: Notícias Magazine


http://aluisionestelar.ning.com/profiles/blog/show?id=2184342%3ABlogPost%3A1909161&xgs=1&xg_source=msg_share_post#.U0GOg_ldX6k

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

O QUE É O JOHREI?

O QUE É O JOHREI?
Johrei é um método de canalização de energia espiritual (luz divina), para purificação do espírito, capaz de transformar a desarmonia espiritual e material em harmonia.
Quando o homem tem pensamentos, palavras e ações que contrariam sua verdadeira natureza altruísta e espiritualista, ele acumula impurezas em seu corpo e em seu espírito, fazendo com que as doenças, os conflitos e as dificuldades financeiras aumentem.
O Johrei purifica e desperta a verdadeira natureza divina do homem, restabelecendo seu equilíbrio original.
Portanto, dizemos que o Johrei é um método de criar felicidade.

COMO O JOHREI ATUA?
O messiânico qualificado para ministrar Johrei, na condição de canal da Luz Divina, transmite a energia espiritual ao seu semelhante por meio da imposição das mãos.
A luz do Johrei atua no espírito e se reflete no corpo trazendo bem-estar espiritual, mental e físico, independentemente da crença do recebedor.
Toda pessoa pode servir como canal da Luz Divina. Para tanto, basta ter vontade e manifestar o desejo de fazer outras pessoas felizes.

BENEFÍCIOS DO JOHREI:
  • Desperta o homem para a existência do Criador;
  • Fortalece-o para que ele possa ultrapassar os desafios da vida;
  • Torna-o saudável física e espiritualmente;
  • Torna-o mais sereno e pacífico;
  • Eleva sua inteligência e sua personalidade;
  • Expande sua aura, protegendo-o dos infortúnios;
  • Possibilita-lhe perceber melhor a abundância e as oportunidades, propiciando sua prosperidade;
  • Fortalece o sentimento de gratidão e altruísmo.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

PESSOA SIMPÁTICA

PESSOA SIMPÁTICA
Talvez não exista nenhuma palavra que soe tão agradavelmente quanto “simpatia”. Pensando bem, a simpatia é muito mais importante do que imaginamos, pois tem muita relação não só com o destino do indivíduo, mas também com a sociedade. Se alguém se tornasse simpático graças ao relacionamento com uma pessoa simpática e isso fosse se propagando continuamente, é óbvio que a sociedade se tornaria bastante agradável. Por conseguinte, diminuiriam os problemas, principalmente o conflito e o crime; espiritualmente, criar-se-ia o Paraíso. Não existe meio melhor do que esse, pois não requer dinheiro, não é trabalhoso e pode ser posto em prática imediatamente.
Falando, parece muito simples, mas todos sabem que, na realidade, não é fácil assim, pois não basta que a simpatia seja apenas aparente. A verdadeira simpatia aflora do interior; é indispensável, portanto, que a pessoa seja sincera de coração, o que depende de cada um. Em suma, a base da simpatia é o espírito de amor ao próximo.
Vou contar um pouco da minha experiência a esse respeito.
É engraçado eu mesmo falar destas coisas, mas desde pequeno, onde quer que eu fosse, quase nunca era malquisto ou antipatizado. Pelo contrário, era respeitado e amado na maioria das vezes. Então, pensando bem, concluí que tenho uma característica que me parece ser o motivo disso: sempre deixo meus próprios interesses e minha própria satisfação em segundo plano; procuro fazer, em primeiro lugar, aquilo que satisfaz aos outros, aquilo que os deixa felizes. Ajo assim não por razões morais ou religiosas, mas naturalmente. Talvez seja da minha própria natureza. Em outras palavras, é até uma espécie de “hobby” para mim.  Por essa razão, muitos dizem que tenho uma natureza privilegiada, e é possível que tenha mesmo (...)
Como essa minha característica também foi de muita ajuda para a construção do protótipo do Paraíso Terrestre e do Museu de Belas-Artes, creio que ela me tenha sido atribuída por Deus. Quando vejo uma magnífica obra de arte ou uma paisagem maravilhosa, não sinto vontade de apreciá-las sozinho e até fico melindrado; nasce em mim o desejo de mostrá-las. Dessa forma, minha maior satisfação é alegrar ao próximo, o que me faz ficar alegre também.

Meishu-Sama, em 21 de abril de 1954. Extraído do livro “Alicerce do Paraíso” vol. 4(trechos)

DOMINE O “GA”

ENSINAMENTO DE MEISHU-SAMA

 

DOMINE O “GA”


Na vida cotidiana do homem, não há coisa mais temível do que o “ga”(eu, ego). Isso pode ser bem compreendido se atentarmos para o fato de que, no Mundo Espiritual, a eliminação do “ga” é considerada o aprimoramento fundamental.
Quando eu era da Igreja Oomoto (religião nova, fundada por Não Deguti), encontrei, no “Ofudessaki” (ensinamentos escritos pela fundadora), as seguintes frases: “Não há coisa mais temível do que o “ga”; até divindades cometeram erros por causa dele”. E também: “Devem ter “ga”e não devem ter “ga”: é bom que tenham, mas não o manifestem”. Fiquei profundamente emocionado, pela perfeita explicação da verdadeira natureza do “ga” em frases tão simples. É escusado dizer que elas me induziram a uma profunda reflexão.
Havia, ainda esta frase: “Em primeiro lugar, a docilidade”. Achei-a extraordinária. Isto porque, até hoje, para aqueles que seguiram docilmente os meus conselhos, tudo correu bem, sem fracassos. Há pessoas que não são bem sucedidas por terem um “ga” muito forte. É realmente penoso ver os constantes fracassos decorrentes do “ga”.
Como foi exposto, o princípio da Fé é não manifestar o “ga”, ser dócil e não mentir.

                                                            18 de fevereiro de 1950

Texto extraído do livro ALICERCE DO PARAÍSO vol 4 página 47.



LIGUE-SE AO PODER DA LUA CHEIA DE 15 DE JANEIRO E ANCORE O SUCESSO

LIGUE-SE AO PODER DA LUA CHEIA
DE 15 DE JANEIRO E ANCORE O SUCESSO
Mensagem de Selácia
13 de Janeiro de 2014

Cada ano começa com uma mistura de energias, mas este é o primeiro ano, em muito tempo, que lhe oferece as possibilidades positivas que 2014 traz.

Para colocar isto em um contexto, lembre-se de que você é um dos afortunados que estão conscientes do que se tratam estes tempos revolucionários. Você sabe, por exemplo, que estes anos de grandes mudanças são diferentes de tudo o que gerações anteriores passaram. Você compreende que esta é uma vida muito preciosa – a sua mais importante até agora!

Você sabe que é um ser espiritual tendo uma experiência humana, e que escolheu conscientemente se esforçar para integrar o espírito em todo o seu ser – até que realmente se fundam.

Estar em um caminho espiritual durante existências – e tendo feito uma boa quantidade de “dever de casa” preparatório – você sente um desejo implacável de ser mais e de se auto-realizar mais a cada respiração.

Há um impacto útil acumulado a partir do seu trabalho interno e do domínio espiritual ao longo do tempo. Não subestime o bem que pode vir até você nesta vida, por causa deste trabalho de base.

VOCÊ NÃO É NENHUM INCONSEQUENTE

Na verdade, alguns dias são mais fáceis do que outros.
O seu não é um caminho para as pessoas que têm medo de sua própria sombra.

Você compreende que o crescimento espiritual e a iluminação envolvem um processo e que isto exige esforço e persistência. Você pode se sentir como alguém superficial alguns dias, mas na verdade, você não poderia estar onde está agora se fosse um inconsequente.

Você sabe que este ciclo do tempo é especialmente desafiador para todos na Terra. Nosso mundo de cabeça para baixo simplesmente não pode mudar de um dia para o outro, ou mesmo dentro de alguns anos. Nós tivemos um tipo de mudança rápida por décadas – não admira que se sinta tonto às vezes!

Agora, mais do que nunca, é provável que você esteja sentindo as correntes intensas dos ciclos planetários de energia de 2012-2015, que estão catalisando mudanças revolucionárias nas pessoas e em seu mundo externo. Ninguém está isento desta onda de mudança, pois a sua sociedade está sendo refeita.

AS POSSIBILIDADES POSITIVAS

Sim, há a contínua onda e o mundo parece que está prestes a explodir no modo de crise. No entanto, simultaneamente, você pode aprender a dominar a onda e se beneficiar da crise. Afinal, você é um agente de mudanças divino, certo?

Agentes de mudanças divinos descobrem como usar as energias flutuantes para o progresso espiritual, saltando em territórios novos que estavam anteriormente fora dos limites. Um elemento fundamental na mestria é se tornar consciente das energias e como elas o afetam e ao coletivo.

Sua consciência e resposta às energias de Janeiro irão ajudar a estabelecer as bases para os meses subsequentes. Quanto mais você puder ficar desperto para as mudanças na energia – observando mudanças positivas sutis que possam ajudá-lo a abrir novas portas – maior o seu sucesso em ficar focado e disponível às oportunidades.

Na verdade, há uma sensação mais leve no ar, à medida que começamos 2014. Isto é verdade, ainda que desafios de longa data persistam e você não tenha ainda clareza sobre os próximos passos. Use o tom mais otimista na sociedade para ajudar a reforçar o seu próprio otimismo, a auto-confiança e a iniciativa para a ação.

Ligue-se intencionalmente aos efeitos benéficos da lua nova de 1º de Janeiro, trabalhando mais com as intenções do Ano Novo. Não fez as suas intenções ainda?

LUA CHEIA EM 15 DE JANEIRO

Agora que estamos nos aproximando da metade de Janeiro, uma lua cheia no dia 15 pode ajudá-lo a iluminar o caminho à frente e aumentar a auto-compreensão do que será necessário para o sucesso em 2014. Esta lua cheia, no signo de Câncer, pode ajudar também a trazer à luz sentimentos e relacionamentos que precisam de atualização.

Você pode se tornar consciente dos sentimentos perturbadores reprimidos. Se isto acontecer, não ignore o que sente. Comece a desvendar a fonte dos seus sentimentos com um auto-exame honesto e, se necessário, faça a cura das questões essenciais a um nível do DNA. Confie que sejam quais forem as questões não resolvidas que surjam, elas vieram a sua consciência para uma resolução.

Use o poder da lua cheia desta semana para ajudar a encerrar as situações que o estão retendo.

A seguir estão 5 dicas para se ligar ao poder benéfico da lua cheia, de 15 de Janeiro. Trabalhe com estas agora e ao longo de toda a semana para manter o seu equilíbrio, aumentar insights úteis, acelerar a cura e entrar mais em sua capacitação, como um agente de mudanças divino.

CINCO DICAS PARA SE LIGAR AO PODER DA LUA CHEIA

Primeiro, lembre-se de que luas cheias geralmente expandem o que você sente e percebe.

Se tender a ser mais sensível do que o normal, preste uma atenção extra à ancoragem e encontre o seu equilíbrio. Quanto mais você puder permanecer centrado e ancorado, mais você poderá estar em seu coração. Isto será um fator fundamental para que se beneficie mais desta lua cheia.

Segundo, tenha em mente que esta lua cheia estará ampliando a intensidade destes tempos turbulentos.

Você, pessoalmente, pode estar em uma fase mais calma nesta semana, mas outros ao seu redor podem não ser tão afortunados. Seja gentil com você mesmo e com os outros, mantendo a grande cena em mente. Isto significa se concentrar menos nas minúcias das coisas, como engarrafamentos no trânsito e longas esperas na fila. Estas coisas ocorrem, independentemente de que ciclo planetário estejamos experienciando. Seja aquele na multidão que permanece calmo e amável, oferecendo uma mão generosa aos outros.

Terceiro, desde que um foco na lua cheia em Câncer, deste mês, é um equilíbrio das energias femininas em todo o planeta, fique mais atento a como se sente.

Faça os seus melhores esforços para evitar agir a partir de sentimentos negativos. Como um agente de mudanças divino, você está vivo agora para estar na vanguarda do equilíbrio do masculino e do feminino interno na humanidade. Cada um de nós mantém estas duas qualidades. Para a sociedade funcionar de uma maneira mais esclarecida, a polaridade de longa data do masculino e do feminino deve ser abordada. Qualidades femininas como o foco no coração e a bondade, são os pilares do mundo amoroso que todos nós queremos.

Quarto, ainda que o ano novo esteja começando em um ritmo rápido, desacelere esta semana, para que não perca insights rápidos e úteis, catalisados pelas energias desta semana.

Um exemplo: o telefone toca e você acha que não tem tempo para atendê-lo. Uma cutucada intuitiva lhe diz que atenda de qualquer maneira. Se você respondeu, atendendo ao telefone, a pessoa na linha poderia lhe oferecer uma conexão que abrirá portas de oportunidade. Dê a si mesmo a dádiva de se desacelerar o suficiente para ouvir e atender a sua sabedoria interior.

Quinto, dê a si mesmo o tempo, o estímulo e o auto-reconhecimento positivo que você precisa para permanecer no caminho certo.

Valorize a sua própria contribuição, não importa o quanto sinta ser ela pequena. Se você não se valoriza, será difícil ver o valor nos outros e interagir com eles em reciprocidade. Esta postura derrotista o impedirá de progredir espiritualmente, de avançar no mundo físico e de manifestar o seu propósito mais elevado.



Por favor, respeite todos os créditos.
www.Selacia.comTradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

terça-feira, 29 de outubro de 2013

O ECLIPSE SOLAR DE 3 DE NOVEMBRO: A REESTRUTURAÇÃO NA LUZ

O ECLIPSE SOLAR DE 3 DE NOVEMBRO: A REESTRUTURAÇÃO NA LUZ
Mensagem de Célia Fenn
24 de Outubro de 2013.

Estamos agora na transição de um Eclipse Lunar (18 de Outubro) para um Eclipse Solar (3 de Novembro). Com a poderosa onda de energia de Julho/Agosto, isto criou um “clima’ de Energia muito intensa. O Eclipse Lunar, em Outubro, estava em Áries, e foi impactado por Urano em Áries, significando que muita energia imprevisível foi solta nas Grades. Como vocês podem saber, os eclipses são sempre um momento em que as Grades da Terra são re-calibradas com os novos Códigos de Luz que chegam, e embora isto possa ser turbulento, o resultado é sempre positivo.
Assim é com estes dois eclipses, um Lunar e outro Solar. O Eclipse Lunar permite  a mudança na consciência interior, e um Eclipse Lunar, em Áries, com conexões com Urano, certamente derrubarão muitas de nossas velhas idéias sobre Liderança e a energia do “Guerreiro” e abrirá caminho para algo novo. Não é surpresa, portanto, que neste momento o Congresso dos Estados Unidos decidisse “interromper” a criação de perguntas sobre o governo e a economia, globalmente. O cenário está colocando algo novo para emergir na Consciência profunda do Coletivo.
O efeito de Mercúrio Retrógrado neste momento é também para que nos tornemos menos ativos e nos dê um espaço para integrarmos estas energias e permitamos que o Novo surja, à medida que avançamos para o segundo Eclipse de 3 de Novembro. Este é um Eclipse Solar em Escorpião. Os Eclipses Solares permitem a re-calibração das Grades com os Códigos de Luz que trazem novas idéias e informações sobre o mundo exterior e como percebemos este mundo. Assim, um Eclipse Lunar e um Eclipse Solar trabalham juntos para superarmos velhas idéias, para trazer novas idéias e ativá-las nas Grades, ou na Consciência Coletiva do Planeta. Neste caso, o Eclipse Lunar em Áries (um signo solar/ do fogo), e o Eclipse Solar, em Escorpião (um signo da água), formam uma tensão criativa e uma sinergia, movendo a energia em um nível muito profundo, tanto nos indivíduos, quanto no Coletivo.
O foco disto é então, observar como este próximo Eclipse irá nos afetar individualmente, e também o Nível Coletivo. Assim, em primeiro lugar, algumas informações sobre a natureza do próprio Eclipse. O Eclipse está em Escorpião, a casa que lida com questões internas muito profundas, a intuição e também, com os negócios e finanças na área pública (de acordo com a astrologia tradicional). Assim, mais uma vez, sem surpresas em relação a isto, as finanças são uma questão fundamental agora, e também pode ser para muitos de vocês que estão lendo esta mensagem.
Assim, no momento do Eclipse de 3 de Novembro, a Lua Nova estará a 16 graus de Escorpião, Mercúrio estará a 7 graus de Escorpião, Saturno estará a 13 graus de Escorpião e Vênus estará a 28 graus de Sagitário. Agora esta última parte da informação é importante, porque Vênus estará em alinhamento com o Centro Galáctico, em relação às energias do Eclipse. As Principais Energias são a Lua Nova, trazendo as sementes do Novo, Mercúrio focando idéias e energia mental, e Saturno ativando as forças da Reestruturação. Além disto, assim como um bônus, temos o nodo norte da Lua a 7 graus de Escorpião também, adicionando uma dose de profunda liberação “Karmica” à mistura.
Assim, vocês podem ver agora que há uma energia muito profunda em torno do dinheiro, liderança, mudança, sentimentos muito profundos nos indivíduos e no Coletivo. Mas, o efeito de Vênus ao se alinhar com o Centro Galáctico é introduzir os Códigos de Luz do Conselho Galáctico, através de Vênus, o que terá um impacto nas energias de Vênus: da Beleza, da Harmonia e, sim, do Dinheiro!
Assim, olhando para esta poderosa mistura, parece muito provável que a “recalibração” que está ocorrendo, envolve a Economia e as Finanças, e como nós, como indivíduos, relacionamo-nos com a Abundância e como originamos esta abundância em nossa Sociedade.
A um nível individual, isto significa que estaremos dirigindo um olhar profundo para as nossas “velhas” crenças sobre o dinheiro e as finanças, e nos permitindo pensar de maneira diferente. À medida que aceitarmos os novos “Códigos de Luz” do Centro Galáctico, seremos guiados a uma compreensão mais compassiva da Abundância e como ela pode ser criada em nossas vidas, como indivíduos. Neste processo, estamos nos despojando de velhas idéias e permitindo o Novo.
Podemos ter que desistir de idéias arraigadas que desenvolvemos em relação ao “trabalho pesado” e às “recompensas”, quando percebermos que estas não mais são verdadeiras. No século 21, aqueles que trabalham arduamente são muitas vezes aqueles que têm menos na vida. Assim, é o momento para reconsiderarmos a maneira com que manifestamos a abundância como indivíduos, mas também, como compartilhamos esta abundância como uma sociedade, pois os dois estão conectados.
Na Quinta Dimensão, estamos todos conectados no Círculo da vida, e assim as questões da Economia e das Finanças afetam a todos nós, em algum grau. Ainda que estejamos “confortáveis”, não ficamos de fora da Família interligada da Vida no Planeta Terra. É uma questão que afeta a todos nós. Assim, podemos esperar que estaremos enfrentando problemas profundos, relacionados as nossas próprias finanças e como nos relacionamos com a maior Comunidade Global. A Mudança é inevitável, como diz o Arcanjo Miguel.
O CAMINHO DO ECLIPSE... A ÁFRICA SE ELEVA.
A natureza deste Eclipse é o que se chama de “híbrido”. É parcialmente um Eclipse Total e parcialmente Anular, que é um tipo de Eclipse Parcial. O Eclipse Total segue um caminho em toda a África Central, a partir das Florestas Tropicais do Gabão, através do Congo e da República Democrática do Congo, para a Uganda, Quênia e então a extremidade da África, Etiópia e Somália. O Eclipse Parcial cobre a maior parte da África. Este é um Eclipse Africano e está despertando a África!
Em primeiro lugar, a área do Eclipse Total é a Floresta Tropical Africana principalmente profunda, um dos ambientes mais primitivos do Planeta. É um momento em que os “Códigos da Floresta’ para a Nova Terra serão poderosamente ativados na África. Mas, em outro nível, estes Códigos de Luz irão libertar a África da profunda escuridão que foi nela impulsionada no final do século 19 e início do século 20, e permitir que ela ressurja novamente na Luz.
A África é provavelmente o continente mais “ignorado’ no Planeta. Não se sabe muito sobre a história de um dos maiores continentes do Planeta, a não ser o que é dito como o ponto de origem da vida humana. Foi o “Mu” original... o primeiro continente que se expandiu para se tornar a Lemúria e então a Atlântida. Ela mantém os poderosos Códigos originais da Criação, que foram detidos pelos Guardiões da Criação, os Guardiões Elohins da África. Estes Códigos da Criação estão prontos para serem liberados novamente às Grades, no momento deste Eclipse. Esta liberação permitirá que os Guardiões e Criadores  da Terra, que trabalham com os Elohins ,  acessem novamente a Biblioteca Holográfica, no Centro do Planeta.
Mas, retrocedendo no tempo, no final do século 19, no período da expansão do Império Anglo/Europeu/Americano, havia o que é conhecido como uma “Partilha da África”, em que os Colonizadores Europeus “agarraram” tanto do continente quanto eles puderam. A África do Sul, após ter sido explorada pelos Portugueses, foi passada da Holanda para a Grã-Bretanha e se tornou uma colônia britânica, assim como a Suazilândia, Botswana, Lesoto, Zimbabwe e Zâmbia.
Os Portugueses se dirigiram para Moçambique e Angola. Os Alemães tomaram a Namíbia. Os Belgas tomaram o Congo, enquanto os britânicos também tomaram  Quênia, a Uganda e a Tanzânia. Enquanto tudo isto estava acontecendo, os Elohins Guardiões junto com os Guardiões das Grades Africanas, fecharam as grades e trancaram o acesso aos Códigos originais da Criação. E assim, como o Lugar original da Luz e da “Mãe”, a África se tornou o “Coração das Trevas” e continuou a ser desde então.
Agora é o momento em que o “Coração” da África será ativado e a Luz retornará. Quando eu era mais jovem e estava envolvida em política antiapartheid, tínhamos um ditado que dizia: “África Mayibuye!”. Isto significa “África.. Que ela possa vir!” Era uma maneira de dizer que a África ressurgiria na Luz. Acho que este é o momento em que a África começará a se elevar na Luz!
Os códigos do Eclipse Solar dissolverão as sombras projetadas na África e ela começará a despertar para quem ela realmente é como um Continente. Os Novos Códigos de Luz trarão novas idéias sobre as Florestas Tropicais, sobre o Jardim original do Planeta, sobre a Mãe e cuidar da Sociedade e compartilhar a abundância.
© 2013 Celia Fenn e Starchild Global


Este trabalho é licenciado sob a Creative Commons License

Você é livre para copiar, distribuir, exibir e executar a obra, sob as seguintes condições: Você deve dar crédito ao autor, não poderá utilizar este procedimento para fins comerciais, e você não pode alterar, transformar ou basear - se neste trabalho. Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro para outros os termos da licença deste trabalho. Qualquer uma destas condições podem ser derrogadas se você obter permissão do detentor dos direitos autorais. Qualquer outra finalidade de utilização deve ser concedida autorização pelo autor.

Tradução: Regina Drumond Chichorro –reginamadrumond@yahoo.com.br